terça-feira, 11 de agosto de 2015

Vestimenta Viking - Parte I - Os homens

Fala guerreiros e guerreiras!!!!

Bom, hoje é meu dia de post e como eu tenho o blog meio abandonado pela loucura que foi o retorno ao trabalho, pós férias, acabei por hoje optar por falar de algo que AMO, um assunto que domino e algo que faz muito tempo estou pensando em escrever mas que sempre acabo por relevar.
Como é um assunto extenso vou dividir esta postagem, sendo assim, nas próximas continuaremos a falar disto.
Hoje vamos começar a falar de VESTIMENTA VIKING!!!  \o/

Ilustração que meu amigasso Cristian do CMC Illustration me fez de aniversário...
E como o viking que vós escreve está trajado a rigor nesta ilustração, nada melhor
para abrir o post, não acham?

XVIII Festival Wolin 2012 - Photo by K&W Szlosarczyk
Faz muito tempo que quero falar deste assunto, pois é realmente difícil achar material completo na internet e demorei muito mesmo para conseguir um material de qualidade, verídico e sério sobre o tema. Esqueça o capacetinho com chifres pelamordosdeuses!!!!

O que se sabe sobre este tema é bem fragmentado. O povo viking lamentavelmente deixou muito pouco sobre o assunto documentado em alguns textos, eddas, relatos familiares de algumas pessoas que colocaram online o que sua família (descendente) sabia do assunto, etc, etc.
O que vou colocar aqui é um apanhado de informações de vários textos e lugares. No final colocarei os devidos créditos as fontes, porém, como muita coisa eu fui achando, traduzindo e salvando em vários documentos espalhados peço desculpa se esquecer de alguma e desde já deixo em aberto caso alguém saiba de onde a fonte é e queira colocar nos créditos caso tenha esquecido.  ;)
Vamos então começar!

Primeiramente vou falar da roupa masculina e semana que vem falamos da feminina ok?

Antes de mais nada! Esqueçam dos chifres! No horns! Nada  de coloca-los em elmos. 
Esta história de chifres começou lá pelos séculos XIX e XX, com os relatos dos cristãos que tinham o povo viking como cruéis bárbaros do Norte que saqueavam mosteiros como verdadeiros piratas, driblando mares para poder atingir seus objetivos. Além é claro de matar cristãos a sangue frio e com um quê de crueldade, o que de fato... Causava tipo que uma primeira impressão meio... Forte, sabe como é que é!... :P
Como os chifres pareciam uma boa ideia com aquela imagem diabólica que os nórdicos tinham, já que chifres eram coisa do mal para os cristãos e o povo nórdico parecia saído do inferno para eles, acabaram juntando o útil ao agradável e é claro que começaram a retratá-los com chifres em seus elmos... Porém isso é coisa de cristão da idade média, então tire da sua cabeça, nada de chifres, chifres só para beber muito hidromel neles e comemorar, nada além disso, OK? ;)

XVIII Festival Wolin 2011 - Photo by K&W Szlosarczyk

As vestimentas usadas pelos antigos povos nórdicos da era viking claramente mostravam seu padrão social, ou seja, estava na cara quem era de baixo e quem era de cima. #Fato.
Em todos os websites e textos que achei algo se repetia; existiam pequenas mudanças de região para região, ou seja, mesmo sendo do mesmo povo, a localização/ região mudava alguma coisa na vestimenta, mas num geral, era praticamente a mesma coisa. Só a parte da Europa oriental que as vestes realmente lembravam um pouco com vestimenta russa.




Vestimenta Viking Masculina:

As roupas masculinas em geral eram; uma túnica um pouco apertada no peito com terminação ampla e amarrada com um cinto de couro.
Essa túnica chamava-se kyrtill, era feita a partir de lã, utilizando padrões surpreendentemente complicados, com muitas peças que precisavam ser cortadas e costuradas juntas. Isto para aproveitar o máximo de tecido possível.
A modelagem padrão era reta, porém aberta aos lados e com uma emenda de tecido que dava esse aspecto “rodado” na barra da mesma, sendo assim ela no fim possuía o peito mais apertado e da cintura para baixo era mais larga possibilitando maior movimento. Nas mangas era exatamente a mesma questão, uma extensão de tecido que deixava-as mais folgadas no inicio e apertadas nos punhos dando maior mobilidade.
Geralmente tinham uma pequena abertura no pescoço/ peito (decote fechadura), podiam usar linhas para fechar ou um simples botão. Os decotes dos homens eram altos, já que uma peça de roupa que revelava uma abertura profunda era considerada afeminada.






A túnica podia bater no meio da coxa ou no joelho, o que geralmente determinava isso era a condição econômica do indivíduo, já que para eles seria um desperdício de material fazer uma roupa com muito tecido para um homem pobre, enquanto um homem rico mostraria sua riqueza usando mais material que o necessário. Em dias quentes a saia era levantada e dobrada no cinto, reaproveitando a mesma vestimenta em diferentes estações do ano. Nas épocas frias do ano usava-se uma capa ou casaco para se proteger.



É provável que a maioria dos homens usassem uma blusa/túnica de linho por baixo da túnica (undertunic) já que é mais confortável em contato com a pele. As blusas de usar por baixo da túnica que foram encontradas pelos arqueólogos são feitas com remendos de tecidos. Não sabemos se isso é uma forma de economizar tecido ou se é porque eles simplesmente não se importavam com isso, já que é uma peça que não iria aparecer por inteira.


As decorações nas roupas eram comuns e também indicavam a classe social e econômica, as roupas das pessoas pobres eram decoradas com tranças no decote e nos punhos, já a dos ricos tinham tranças na barra da saia. As tranças eram feitas com lã colorida usando a técnica de tecelagem tablet.
As pessoas mais ricas usavam a seda, já os pobres não usando materiais mais próximos ao que podiam obter, como lã ou algodão cru.



As calças podiam ser largas ou apertadas, mas suas roupas não limitavam os movimentos do corpo.
Uma ampla gama de estilos de calças foram usadas no norte Europeu, algumas eram largas e outras apertadas. Algumas com construção bem simples e outras bem complicadas usando gomos na região da virilha para melhor movimentação do corpo e com presilhas de cinto ao redor da cintura ou cordão simples. Elas não tinham bolsos. Não tinham aberturas, então eram largas na cintura para passar pelos quadris e ajustadas na perna para poder amarrar melhor.






Duas longas faixas de tecidos de lã eram amarradas da altura do joelho para baixo e permaneciam firmemente no lugar, mesmo durante uma atividade vigorosa. Durante a era Viking, os tecidos eram feitos com dimensões corretas para o fim pretendido, assim, o tecido que envolvia a perna tinha ourelas ao longo de cada borda. Esse envolvimento permitia que a parte inferior das pernas ficassem protegidas para andar na floresta e esquentar e deixar a pele seca para andar na neve. Na Islândia não era comum se usar isso.





Sabemos pouco sobre o que eles usavam como cuecas, estudiosos acreditam que eram feitas de lã e que seguiam os mesmos padrões das calças, mas na altura do joelho. Acreditam nisso por conta de alguns escritos. É provável que as pessoas pobres não usassem roupas íntimas.


As capas (ou mantos) era um grande pedaço de pano retangular de lã, às vezes forrado com lã de cor contrastante. Serviam para proteger do frio, vento e chuva. Algumas eram feitas com uma lã mais densa para melhor proteção. O braço direito era livre do manto. Elas podiam ser bordadas ou decoradas com tranças de lã coloridas. Elas eram mantidas no lugar por um pino no ombro direito.







Gorros eram feitos de lã, peles ou couro. Graças ao livro de Direito da Islândia Medieval sabemos mais sobre os gorros, onde proibia uma pessoa de puxar o gorro da cabeça de alguém.





Warsztaty Wolin 2012 photo by K&W Szlosarczyk

As meias eram feitas com lã não tingida e feitas com a técnica chamada agulha de ligação (nalbinding). Essa técnica usava uma única agulha de grande espessura que fazia uma peça resistente. Luvas e bonés também eram feitos com essa técnica.





Os sapatos eram simples de fazer, eram feitos com uma técnica chamada girassol, a costura era feita por fora e depois de pronta viravam o sapato ao avesso para a costura ficar dentro do sapato e ficar mais resistente. Essa costura para dentro não é desconfortável, pois ela não encosta nos pés. Como os sapatos não duravam muito, todos os anos eles jogavam fora, com isso alguns sapatos foram encontrados em poços pelos arqueólogos, em algumas regiões o couro sobrevive bem. Eles são ajustáveis aos pés. Eles iam na altura do tornozelo, mas também podiam ter cano alto.









Os cintos eram feitos de couro, tinha largura de 2 cm aproximadamente. Dois objetos essenciais eram pendurados nos cintos, uma faca e uma bolsa de couro ou tecido chamada de “Pouch”. As pouch eram necessárias para guardas pequenos objetos como chaves, panos para limpar as mãos e rosto, moedas, kit de fogo e etc.






É importante mencionar que o uso de armaduras entre os vikings não foi algo comum. O uso de cota de malha se devia principalmente aos que tinham condições financeiras para comprá-la, pois era algo caro, ou teria a herdado do pai, do avô, ou a roubou. Muitos vikings iriam para o campo de batalha utilizando suas vestes normais, ou até mesmo poderiam ir sem camisa.

Acessórios: Pretendo falar mais no próximo post, mas saibam que os homens usavam ... E muito! Vikings eram vaidosos e acessórios, como pingentes, pulseiras e adornos eram muito usados!

XIX Festival Wolin 2013 – photo by K&W Szlosarczyk

Cabelo:
Os escravos, chamados de thraells, sendo o elo mais baixo da sociedade, levavam o cabelo muito curto ou raspado como símbolo da sua condição social. Os homens livres, de condição social padrão haveriam levado o cabelo pela altura dos ombros, soltos, limpos e com a barba tão comprida como lhes fosse confortável.
Os guerreiros haveriam optado por penteados de acordo com a sua profissão e que lhes resultassem confortáveis também. Costumavam levar o cabelo curto, ou no caso de ser comprido recolhido. O mesmo acontecia com a sua barba, já que precisavam evitar que o seu cabelo virasse um handicap na batalha. Cabelos e barbas longas ofereciam oportunidade ao adversário a oportunidade de arrancar eles em combate.
Vikings eram práticos minha gente!
Para se diferenciarem dos francos, uma vez estabelecidos na Normandia, os próprios normandos usavam a nuca raspada, combinada a mechas compridas pela frente e abundantes franjas.
Raspavam a metade inferior traseira da cabeça, traçando uma linha de orelha a orelha. A parte superior dianteira ficava longa, provavelmente recolhida em tranças ou nós.
No fim, fato é que haveriam existido vikings de cabelo curto, médio, longos, com franja, inteiros, com partes da cabeça raspadas, ou a cabeça toda, usando ou não tranças ou amarrado, fato era que tinha pra todos os gostos.

Barba e bigode :{D))
O mundo da barba e bigode foi MUITO MAIS AMPLO eu o dos cabelos!, Seja como for a barba e o bigode em questão estavam sempre muito bem arrumados.
Rasuradas, curtas, longas, muito longas, lisas, soltas, trançadas em uma, duas, três, ou mais tranças, de igual forma separadas em dois, em três ou em muitas mechas, com miçangas, botões de metal bigodes longos e unidos à barba, curtos, modelados para finalizar em ponta (aquele bigodinho retrô sabe?), trançados… Como vêm, muitas, MUITAS, opções neste aspecto, mas fato é que sim, os vikings eram em sua maior parte barbudos!!
Resumindo num todo: o panorama de estilo viking masculino foi ENORMEMENTE amplo, embora em alguma região um estilo predominasse mais do que o outro, fato é que existia um tipo específico de estilo.

 E agora váááários exemplos de Cabelo, barba e bigode pra vocês! (E tem até do seriado Vikings pra ilustrar! ;P 





Sim, é o Marco do Nightwish!! Mas olha o cabelo e a barba dele!
Totalmente viking!!!!








 E por hoje é só!! Tem texto PAHCARAY! e eu peço desculpas se você não curte muito ler, mas quero que estas postagens ajudem quem está pesquisando vestimenta viking, seja para reprodução, para fazer para algum festival, por curiosidade, ou até para usar em casa, hehe. Eu sei o quanto é difícil juntar um material assim num único lugar e por isto é que decidi trazer isto para vocês. 
Espero que todos gostem!! Aqueles que curtem o assunto que curtam, que seja útil para quem procurava por isto, e interessante para quem não curte muito sobre cultura viking mas que por curiosidade leu até aqui. Meu obrigado a todos.
   
Fontes:
hurstwic.org
a-winter-garden.blogspot.com.br

thevalkyriesvigil.com
ASPECTOS BÁSICOS DA HISTÓRIA E CULTURA DOS VIKINGS
Prof. Dr. Johnni Langer (UNC, SC/UNICS, PR)
Photos Wolin Festival: wikingowie.deviantart.com

E na semana que vem tem mais! Trarei a parte feminina da vestimenta e algum complemento que faltar.
Um bom dia para todos e na quinta feira tem mais post! 
E nos segue nas redes e no canal no "youtoba"! Tem vídeo novo toda segunda e sexta feira!!! \o/


Abraço Viking em todo mundo!!!!








5 Comments:

Anônimo said...

Parabéns! Bela cópia de texto! Aliás, texto bem ruim e incorreto historicamente, diga-se de passagem. Sugiro escolher melhor as fontes da qual te informas.

Jéssica Veneno_Official said...

Oiiii Atheninha ,oi Sr.Barba , fico encantada com historias de vestimentas Viking ( cheguei a fazer um post sobre o tema *-*) , é legal perceber o quanto eles eram ricos em detalhes ,se preocupavam com cada costura .... ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

http://jessicavenenoofficial.blogspot.com.br/

Unicórnios e Barbas said...

Caro anônimo:
Como sempre dizem o e repito, qualquer critica ou sugestão é mais que bem vinda desde que seja construtiva.
Como disse no texto acima, isto é um grande apanhado de informações que existem na internet e de muitos textos, livros e pdfs que com o tempo fui juntando e traduzindo.
Especifiquei apenas algumas das fontes, pois foram muitas e muitas delas lamentavelmente não recordo de quais fontes saíram.
Não dizemos em momento algum que isto fosse uma verdade indiscutível, como falei, apenas compartilhei aquilo que eu tenho e que sei através de debates em diversos grupos nas redes sociais.

Ficaria grato de você nos dar suas fontes, acrescer informações a isto ou me dar fontes e conteúdo comprovados para eu alterar caso seja necessário na postagem. Se em algum momentos quiseres compartilhar conosco ficaríamos felizes.

Obrigado pelo seu recado e suas reclamações. Apenas afirmamos como está escrito no gol de cada um dos nossos posts de não contribuir com ódio mas com amor que é muito mais legal.

Que os deuses olhem sempre você e Odin proteja. 😉

Abraço viking meu caro/a.

Unicórnios e Barbas said...

Oi queridona! Obrigadooo pela sua mensagem!
Também fico muito e gosto muito do assunto, sempre tento me informar em lugares confiáveis e textos bons, embora pareça que não são os lugares certos pelo que foi discutido em comentários acima, mas como tudo, o bom guerreiro é quem admite estar sempre tentando melhorar e aceitando novos aprendizados.

A cultura nórdica antiga/ viking como vc sabe me fascina e é sempre bom saber um pouco mais sobre povo tão rico!.

Nos encontramos por algum texto por ae! Hehe.

Grande beijo unicorniano e um hail viking bem caprichado para vc!

Anônimo said...

Olá!! eu faço faculdade de textil e moda, e estou fazendo uma monografia sobre a indumentária da série vinkings (que eu amo <3) ,e esses posts estão me ajudando muuuuito, muito obrigada!

Postar um comentário

Seja gentil!
Nada de ódio!!
Faça amor não faça a barba!!