quarta-feira, 15 de março de 2017

Comprinhas do aliexpress!

Olá minha zenti linda do coração!!!

Depois de séculos ainda sei como postar aqui! Maas não vamos pras desculpas, vamos para o post de gastança que é o que interessa né?!

Então né, eu sempre fui apaixonada por papelaria, passo horas e horas dentro de uma só olhando cada caneta, lápis, caderno, agenda e papel! Mas de uns meses pra cá depois que descobri o mundo dos planners e dos bullet journals tenho piorado! E resolvi adentrar no aliexpress e catar umas coisas baratinhas!

E eu achei, e fiz um estrago, comprei muito adesivo e washi tape! No post de hoje só vou mostrar os adesivos e umas canetas porque as washis estão perdidas no meio do oceano e nem chegaram no Brasil ainda!

Eu fiz esse pedido no início de fevereiro e até que chegou razoavelmente rápido!

Vamos as fotooos!

Guva querendo pegar todos os adesivos!





Comprei essas canetas justamente pra escrever em papel preto, mas a branca e a lilás não são metalizadas então não ficam tão bonitas quanto a verde e a rosa que ficam simplesmente maravilhosas!! Com a rosa e a verde consigo escrever em papel branco também, a branca e a lilás nem aparecem, e elas só ficam assim depois que a tinta seca.




Esses são os únicos adesivos de papel, os outros todos são de plástico/vinil, na hora da compra não vi, mas na embalagem diz "polaroid deco" então acredito que seja pra colar naquelas fotos instantâneas, o legal que se você quiser pode colorir os adesivos!








Todos esses adesivos são de plástico/vinil, todos eles são transparentes, então quando tu cola parece que foram impressos na folha ou desenhado! Já usei dessa menininha e do molang, a única coisa ruim é não entender nada de coreano (ainda não fui pega pelo ritmo k-pop) e não saber se a legenda corresponde a expressão, mas são lindinhos!



Esse é o único pacote que veio com os adesivos soltos, tinha de outros bichinhos como gatos e pinguins! São uns amores, e são 10 modelos com 5 adesivos de cada! A única tristeza é que tem um caracol ali no meio!! D:

Eu fiquei bem feliz com essa compra, apesar do dólar alto paguei super baratinho, veio super rápido e não fui taxada!

BÔNUS:

Na mesma semana chegou essa washitape maravilhosa! Primeiro item do aliexpress que pago frete, mas não tinha como não comprar essa maravilha!!

Uma publicação compartilhada por Athene Kobayashi León (@atheneleon) em

Quero esperar as outras washitapes chegar pra falar só delas!! Vamos torcer pra que isso leve menos de um mês! hahaha

E aí, quem aí é a louca da papelaria que nem eu?!

Ah, o próximo capítulo da estória fica pra quarta que vem! Não deixem de ler e votar! :D

Bjooo zenti lindaaa!!


quinta-feira, 9 de março de 2017

U&B: Uma aventura interativa - Capítulo 5

Fala meus guerreiros e guerreiras!

Probleminhas técnicos impediram de postar ontem, nossa internet estava muito instável o que impediu a postagem, mas calma! Tudo resolvido e o capítulo prometido está aqui.
Segue o baile nesta aventura interativa.

Vamos então ao capítulo e a ilustração de hoje que apresenta a vocês o visual da novo personagem da semana passada, o ferreiro Mikill.

Boa leitura a todos!



Capítulo 5




Achei muito interessante essa história toda dos universos, do espaço e tudo mais, mas eu queria saber como tinha chegado lá e principalmente por qual motivo eu estava lá e foi isso que questionei sem hesitar!

Mikill me olhou de canto e riu enquanto manuseava suas ferramentas e eu senti aquela pausa dramática que não sabia o que significava.

Novamente insisti – Realmente, eu preciso saber o que tudo isto tem a ver comigo e por qual motivo estou aqui? Por que eu? E por que não me lembro de nada?

Meu rapaz, calma, estava tentando explicar porque é muita coisa para você entender, há uma serie de informações que você precisava saber antes de falarmos sobre sua chegada.

-Se eu não estou morto o que eu faço num lugar que não é no meu planeta e que tem o nome da pós vida dos povos nórdicos... Nórdicos da Terra? Eu falei.

-Você não está morto e ninguém que está aqui está. Os humanos aqui são felizes é uma segunda chance. Com você foi realmente diferente. Para muitos de vocês isto é o além, só que o ser humano é uma especie muito nova, ingênua, mas com grande potencial, vale a pena investirmos em vocês.

Fixei meu olhar mais tenebroso no ferreiro. Eu estava ficando irritado! Para que tanta enrolação!? Era só falar indo ao ponto. E só quando saí desse devaneio é que percebi que eu estava pensando em voz alta.

Mikill se levantou, caminhou apoiando-se no seu cajado de madeira e venho lentamente na minha direção, quando estava perto o suficiente da minha cabeça se abaixou e sussurrou:

- Você foi trazido aqui por uma valquíria enviada diretamente pelo próprio pai de todos, senhor de Asgard, Odin.
Ele, através das nossas Nornas soube, depois de centenas de anos de incessante busca delas feita pelos nove mundos e além, que você era aquele que ele esperava! E por isso você está aqui comigo agora.

Olhei para ele aprovando que continuasse em gestos contínuos com a cabeça.

-Você está realmente entendendo tudo que estou falando? ele me perguntou.

-Esto-oou... Quer dizer, a não ser pela parte de ser carregado por uma mulher encima de um cavalo alado que atravessou um buraco negro em algum lugar da Terra, enviada por três mulheres que tecem e comandam o destino de todos a serviço do maior Deus nórdico...

-No seu oceano.

-No nosso o que? De que está falando?

-Oceano,  a passagem interespacial está no oceano. É por lá que os visitamos e que as valquírias chegam quando carregam algum novo habitante para este lado.
E mais uma coisa...
Mikill sorriu, mas desta vez ele sorriu muito alto e com vontade, enquanto eu tentava entender o que ele tinha falado achando que ele tinha caducado de vez.

-A imaginação de vocês, seres humanos, é algo tão fértil e criativo! Não há mulheres em cavalos alados, nem mulheres que tecem coisa alguma... Como disse antes, o seu povo distorceu informações que lhes concedemos há milhares de anos com o passar do tempo. O que vocês sabem na atualidade é um apanhado de textos antigos distorcidos e deteriorados. Nossas valquírias são criadas por nosso povo. Elas não são mulheres, elas voam e os trazem, essa é a finalidade delas... Eu não sei como te explicar. Acho melhor você ver. Me siga.
Mikill e eu saímos da casinha e encontramos com a esposa do ferreiro que voltava para a cozinha.

-Já voltamos querida, prepare mais um prato a nossa mesa que este rapaz jantará conosco hoje.

Olhei sorrindo para a senhora que me olhava com um sorriso nos olhos de volta. Cumprimentei timidamente com a cabeça, enquanto ela entrava na casa.

-Ela me pareceu uma senhora simpática. Disse para Mikill que me garantiu que ela era isso e muito mais.

Entramos novamente em Bilskirnir e eu segui os passos lentos do ferreiro que me levava por outro lado que desconhecia. Achei que encontraria algum dos gêmeos no caminho mas nem sinal deles.

Chegamos a um aposento que eu não tinha visto ainda, aliás, parecia que eu nunca conheceria aquilo todo. Era do lado oposto ao grande salão de refeições, mais iluminado, emoldurado por enormes janelas e me parecia algo como uma sala de estar ou como uma recepção.

Bilskirnir era muito grande! Muito grande mesmo! Por fora era tão grande quanto um castelo medieval dos maiores! Um prédio de vinte ou trinta andares poderia ser algo bem próximo.
Só que por dentro a coisa era bem diferente. Eu ainda não tinha comprovado a informação, mas Thjálfi tinha me contado dias atrás que o prédio contava com 640 andares, o que é algo humanamente impossível, porém... Nada disto tudo é humano e estou cada vez mais convencido, principalmente depois da primeira parte da conversa havia tido com Mikill que tinha sido abduzido por uma valquíria que não era uma mulher sobre um cavalo. Se você estivesse no meu lugar também estaria convencido que foi abduzido! Se não é  mulher é alienígena! Devem ser cabeçudinhas!

Mikill me chamou a atenção, ele estava em... Um elevador? Por qual motivo eu ainda não sabia que havia um elevador e usava a escada diariamente? Entrei lá correndo!
Dentro, havia até música tocando, uma suave melodia instrumental que parecia trilha sonora do Senhor dos Aneis. Eu, de fato, estava num elevador de verdade em meio a uma construção idêntica as antigas construções escandinavas! Como podia!?

Saímos diretamente num andar que não tinha divisões. Meu queixo bateu no chão e voltou e se Thjálfi estivesse ali naquela hora eu teria lhe dado um soco no rosto por me privar daquilo!
Era INCRÍVEL! Estávamos numa super biblioteca gigante!!




A coisa vai ficando boa!!! E já queremos ver para qual caminho vamos e continuar logo com nossa aventura!
Povo, como sempre, se tiverem sugestões, críticas construtivas, elogios, ou se quisrem apenas dar um oi, deixe nos comentários!!! E curta, compartilhe.

Afinal de contas, você está prestigiando o trabalho de um artista brasileiro :D Vamos incentivar a arte! \o/

E se quiser pedir para falarmos de algum assunto específico em algum post aleatório fique a vontade ;)

Abração a todos! HAILZÃO VIKING ae! o/


quarta-feira, 1 de março de 2017

U&B: Uma aventura interativa - Capítulo 4

Faaala meus guerreiros e guerreiras!!!
Oi Zenti!!! *0*
Voltamos do merecido descanso de carnaval, começando hoje oficialmente 2017.
Resolvemos que esta semana esperaríamos todos coltarem do descanso e postaríamos o novo capítulo hoje, e a partir de hoje toda quarta feira será nosso dia de encontro, ok?

A nossa aventura está ganhando novas dimensões e hoje a coisa começa a ficar cabeça! \o/
A nossa empolgação é tão grande com este capítulo que resolvemos criar um pôster oficial para ilustrar o capítulo e ao mesmo tempo para agradecer todos vocês que estão fazendo parte desta aventura conosco, escolhendo cada caminho a seguir.

Bom, sem mais delongas segue o novo capítulo e como sempre, a votação logo abaixo. E antes de fechar a postagem o pôster dos "Nove mundos" que ilustram o trecho de hoje ;)

Esperamos gostem e boa leitura!!!


Capítulo 4

O homem que limpava a arma no outro lado do salão me chamou pelo meu nome e veio caminhando direto para nós. Eu não o conhecia, nunca tinha falado com ele e os irmãos pareciam tão surpresos quanto eu.

Ele era um cara mais velho, provavelmente estava na casa dos cinquenta, cabelos pretos presos em um rabinho e com uma touca de pelos preta e roupas puramente nórdicas. Carregava um cinto de ferramentas que mais parecia o cinto de utilidades do Batman. A pele era escura, curtida pelo sol e seu porte era de um homem grande que os anos deixavam agora levemente curvado.
Ele se apresentou como Mikill, o que me foi estranho, por que o seu nome e estranhamente seu visual também me lembravam um pouco do meu pai, provavelmente era a saudades falando mais alto.

Os dois irmãos assentiram com a cabeça cumprimentando-o afinal eu era o único lá que não conhecia todos ainda. Mikill retribui e olhou para mim dando um leve sorriso e pedindo para acompanhá-lo, os irmãos não falaram nada, apenas consentiram me sinalizando para acompanhá-lo, eu cada vez entendia menos o que estava havendo, mas como novato eu apenas seguia ordens dos veteranos.
Mikill foi caminhando na minha frente me guiando e apenas falou uma vez no caminho todo para me dizer que permanecesse calmo, que estava tudo bem e que as respostas que eu esperava já estavam chegando.

Novamente acabei do lado de fora de Bilskirnir, seguindo seus passos enquanto nos adentrávamos alguns metros na pequena floresta.
Uma pequena casinha de madeira nos esperava em uma clareira adiante, rústica, simples, com grama sobre o teto e desenhos escandinavos esculpidos na volta da porta. Por dentro ela era realmente pequena e aconchegante, o fogo da pequena forja deixava o lugar realmente aconchegante se comparado ao frio afora. Logo na entrada muitos itens feitos em metal se encontravam espalhados. A luz era tênue, e por uma porta aberta eu conseguia ver duas poltronas de madeira escura com pelegos e algo cozinhando num velho fogão.

Mikill se sentou em frente a uma mesa próxima da forja, coberta de ferramentas e me pediu para sentar num banco a frente. Ele me observou reparando naquela panela cozinhando e falou que provavelmente sua esposa estava na horta atrás da casa, colhendo parte do que faltava para a janta enquanto sorria novamente.

Ele me parecia muito calmo, e me passava tranquilidade, enquanto eu gerava mais questões na minha cabeça. Agora sobre ele, ele e sua esposa.

-Você quer me questionar alguma coisa Khriztian?

-Para dizer a verdade, sim. Porque vocês moram aqui? Achei que todos morassem lá no casarão! Thjálfi me falou isso! Que todos viviam lá!

-Bom, como pode ver, nos vivemos e comemos aqui, eu só entro em Bilskirnir para cuidar das armas dos homens de Thor e as do próprio senhor Thor em pessoa, digamos que sou como seu ferreiro pessoal, dentre outras coisas...

O que Mikill me falava só me incentivava a perguntar ainda mais, mas eu ainda não sabia nada do que estava fazendo lá? Eu não tinha nem um décimo das respostas que precisava.

-Só um momento! Eu conheço sobre cultura nórdica e sobre mitologia também! As armas do Thor? Você se refere ao Mjolnir? Você está falando do martelo do Thor? Sobre O MARTELO? Ele foi forjado por anões! Eu conheço essa lenda! Ela está em vários livros! Isso se estiver falando do Thor de verdade! Por que eu não estou entendendo mais nada!

-Sim, o Mjolnir, sua espada e seu machado também, além das armas dos homens de Thor, tudo foi feito por mim. E sim, suas histórias não estão completamente erradas! Você viu a altura do senhor? Eu realmente sou muito mais baixo do que ele e poderia ser considerado um... Como vocês chamam? Anão? Aliás, seu povo soube registrar bem muitas coisas sobre nós, mas acabaram mal entendendo muitas outras. Eu conheço muitos dos seus relatos documentados, como chamam? Livros! Nós temos muitos deles nas nossas estantes em Bilskirnir, mas nem todos os conhecem, muitos nem sabem da sua existência, apenas quem veio do seu povo é que sabe deles e nos ajudaram a entende-los.

Eu estava em choque e não conseguia falar nada. Minha boca estava aberta.

 -Khriztian, pode perguntar, como eu disse antes, chegou a hora de saber o que precisa.

-Eu, eu... Eu estou morto? Você se refere a meu povo, porque realmente estou do outro lado? Quer dizer? Realmente existe aquilo que eu acreditava, ou acredito, ou... Sei lá! Já não estou entendendo nada. Eu não me sinto morto! Eu estou normal! Eu só não lembro como cheguei, tento voltar e só tem um grande branco, mas eu lembro de todo o resto! Eu sei o que fiz semana passada! Se realmente foi semana passada mesmo... Pensando bem, eu não sei quando é hoje, o que está havendo? Estou começando a ficar tonto!

-Calma, respire! A comida de Roosje, minha esposa, tem um ótimo cheiro e sabor, com certeza vai acalmá-lo. Como vocês dizem, comida caseira soluciona qualquer mal do coração. 

Ele sorria amenamente enquanto eu estava tendo um ataque de pânico.

-Você não está morto. E sim, como você disse você está do outro lado. Literalmente do outro lado. Vocês não são os únicos no universo meu amigo e o que vocês conhecem como universo é apenas um dos vários lados existentes.

Pela sua cara eu vejo que é muita informação para seu cérebro, então vou tentar resumir por enquanto. Não há universo, mas poliverso! Nós mesmos não sabemos quantos, apenas conhecemos dois, seu sistema planetário e o nosso, completamente ligado por Yggdrassil...

-A árvore do mundo. - Completei.

-Para falar a verdade não. Eu ainda acho muito criativo que a chamem de árvore por que realmente parece com uma, mas traduzindo para o que você conhece Yggdrasil é nossa galáxia! É o que une nossos nove mundos. 

-Incluindo Midgard? Por que até onde sei, ele é a Terra, e se eu venho dela e você falou da sua galáxia, do meu sistema solar, de poliverso... Como eu, quer dizer, como os humanos podem estar na Terra e Midgard ao mesmo tempo e em lados diferentes? Há uma duplicata da Terra? Uma duplicata de mim?

-Não. Midgard é nossa conexão. É através dele que nossos universos se conectam, é através de Midgard que você venho, é por ela que nós visitamos seu povo desde sempre!

Os cientistas do seu povo sempre olharam para as estrelas buscando entender cada coisa, documentar cada coisa, alguns acharam ter encontrado atalhos, passagens que conectam dois ou mais pontos e muitos acharam conhecer todas as classes destes atalhos, destes buracos, mas na verdade desconheciam que seu próprio planeta é uma passagem.

A Terra é a conexão com Yggdrasil, a conexão com nossos mundos.




E agora como prometido! O novo poster da nossa aventura! Estes são os Nove Mundos do "Unicórnios e Barbas" :D





Esperamos que todos tenham gostado e já sabe! Deixa teu voto nas opções acima, se curtiu divulga nosso trabalho para que mais pessoas o conheçam e deixa teu comentário sempre que quiser! Será muito bem vindo!
Um grande hail viking e saudação unicórniana a todos e bom inicio de ano oficial, pós carnaval!
XD
Abraçoooo!!!